Inflação IPCA: o que é e quais os impactos no mercado?

É importante acompanhar as notícias da economia para realizar investimentos de modo consciente. Afinal, o cenário econômico impacta diretamente o mercado financeiro e os investimentos. Nesse sentido, é indispensável conhecer alguns termos.

Por exemplo, você sabe o que é exatamente a inflação e o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo)? Esses conceitos aparecem frequentemente no noticiário e estão relacionados ao poder de comprar e à rentabilidade dos investimentos.

Para aprender mais, continue conferindo este artigo. Nele, você entenderá o que significam a inflação e o IPCA e como investir considerando esses fatores.

Vamos lá?

O que é a inflação?

A inflação é o termo utilizado para contextualizar o aumento generalizado e constante dos preços de produtos e serviços em uma economia. Dessa maneira, quando ela está em alta, significa que a moeda perde o seu poder de compra.

Assim, o cenário de alta da inflação impacta diretamente o cotidiano da população. Afinal, é necessário utilizar mais dinheiro para comprar os mesmos produtos e serviços. Para entender melhor a dinâmica, vale saber que a inflação se divide em três grupos.

O primeiro é chamado de inflação de custos ou de oferta. Ele acontece quando é preciso gastar mais dinheiro para produzir um bem ou oferecer um serviço. Esse tipo de inflação impacta a produtividade de diversos setores, refletindo no aumento dos preços para o consumidor.

O segundo grupo se refere à inflação de demanda. Esse movimento ocorre quando há maior procura pelo bem ou serviço do que o mercado pode produzir ou oferecer. Assim, os itens sobem de preço, já que há uma disputa dos consumidores por eles.

Já o terceiro tipo de inflação é a inercial. Ela é gerada pelas expectativas econômicas para o país e a confiança do mercado. Desse modo, entre os três tipos de inflação, essa é considerada mais especulativa.

Vale a pena entender, ainda, que a inflação nem sempre é sinônimo de um cenário ruim para um país. Quando ela avança de forma controlada, pode ser um indicativo de que a economia está aquecida, pois há mais consumo gerado pelo aumento do emprego.

Mas, para isso acontecer, é necessário que o Governo monitore e saiba controlar a inflação. Uma das ferramentas utilizadas para acompanhar o fenômeno é o indicador IPCA.

O que é o índice IPCA e para que serve?

Como você viu, o IPCA é utilizado como um dos recursos para acompanhar a inflação. Isso porque ele é o principal indicador da inflação no Brasil e serve como base para decisões econômicas no país. O índice baseia, por exemplo, a definição da taxa básica de juros brasileira, a Selic.

Para isso, o IPCA mede a variação de preço de uma cesta de produtos e serviços, como itens básicos de alimentação e higiene, transporte, habitação, educação etc. Assim, é possível entender se houve aumento ou redução no custo de vida da população e no poder de compra.

Quem realiza a conferência dos preços e os cálculos necessários para obter o IPCA é o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O órgão verifica diariamente a lista de produtos e serviços mais consumidos pelas famílias brasileiras, com renda entre 1 a 40 salários mínimos, durante 30 dias.

No cálculo, os itens com maior relevância no cotidiano da maioria das famílias apresenta maior peso. Dessa forma, produtos de alimentação e higiene têm maior representação no índice do que peças de vestuário, por exemplo.

O IPCA mensal é calculado e divulgado ao final de cada período de avaliação. Além dele, há o IPCA anual — que é obtido pela média do índice ao longo de 12 meses.

Também é interessante saber que os preços são analisados em lugares específicos do país, e não em todos os municípios, por exemplo. Nesse caso, as cidades usadas como referência são as regiões metropolitanas, como Rio de Janeiro, Salvador, Distrito Federal etc. E cada uma delas tem peso diferente no cálculo.

Quais os impactos da inflação no mercado e na sua carteira?

Agora que você já sabe o que é inflação e como ela é mensurada, é momento de entender quais são os impactos dela no mercado e na sua carteira de investimentos. Como vimos, uma alta descontrolada na inflação reduz o poder de compra da população.

Nesse sentido, ela afeta diretamente os ganhos de um investimento. Afinal, com a moeda desvalorizada, o patrimônio já não é mais capaz de pagar o que comprava antes. Para entender melhor essa dinâmica, você deve saber o que é rentabilidade nominal e rentabilidade real.

A primeira se refere ao retorno geral de um investimento. Por exemplo, considere um título do Tesouro Prefixado que rende 10% de juros ao ano. Essa porcentagem é a rentabilidade nominal. Já a rentabilidade real desconta a inflação desse ganho.

Nesse exemplo, se o IPCA fosse de 12% ao ano, haveria uma rentabilidade real negativa. Afinal, a inflação seria superior ao rendimento do título. Logo, o seu patrimônio perderia em poder de compra, mesmo tendo aumentado com os rendimentos.

Como investir diante de um cenário de inflação?

Você aprendeu que a inflação pode prejudicar a rentabilidade real dos seus investimentos. Dessa maneira, é importante entender como investir diante de um cenário com IPCA alto. Assim, torna-se possível elaborar uma estratégia que proteja sua carteira da desvalorização da moeda.

Para isso, pode ser interessante buscar alternativas que ofereçam rentabilidade atrelada à inflação. É o caso dos títulos híbridos que acompanham o IPCA e têm a soma de uma taxa de juros fixa. Logo, eles entregam ganhos reais positivos.

Há também os títulos que seguem a Selic — que é utilizada para controlar a inflação. Desse modo, quando o IPCA está alto, a Selic também costuma aumentar, melhorando a rentabilidade dos títulos atrelados a ela.

Em contrapartida, quando há tendência de queda na curva de juros, pode ser interessante considerar os títulos prefixados. Isso porque eles apresentam uma taxa fixa de juros que, quando é maior que a inflação, gera rentabilidade positiva.

Mas vale lembrar que, independentemente do cenário econômico, é importante man inflação ipca  ter a estratégia de investimentos alinhada aos seus objetivos e perfil de investidor. Além disso, é fundamental diversificar a sua carteira com intuito de protegê-la da desvalorização da moeda e de outros riscos.

Neste artigo, você entendeu o que é inflação e o IPCA e como esses fatores podem impactar o mercado e os seus investimentos. Agora, é viável utilizar essas informações na hora de analisar as alternativas que podem proteger o seu patrimônio nesse cenário.

Para complementar seus conhecimentos, aproveite e confira 3 aplicações financeiras atreladas à inflação para compor a sua carteira!