Certificado de Recebíveis (CR): o que é e como funciona

Certificado de Recebíveis: o que é e como funciona esse novo título de renda fixa

O mercado financeiro está em constante evolução. Por isso, é comum que novas alternativas sejam criadas para atender às necessidades dos investidores e demais participantes. Entre as novidades, está o CR, que é um título de renda fixa criado em 2022.

Por meio dessa aplicação financeira, tanto as empresas que captam recursos quanto os investidores podem se beneficiar. Logo, é interessante entender como a alternativa funciona e se vale a pena realizar o investimento.

Neste artigo, você conhecerá o que é o CR e descobrirá se ele pode ser uma boa escolha para as suas necessidades. Confira!

O que é o CR?

O certificado de recebíveis (CR) é um investimento de renda fixa que passou a estar disponível no mercado brasileiro em 2022. Isso se tornou possível graças à publicação da Medida Provisória (MP) 1.103/2022, que trouxe a regulamentação para esse tipo de aplicação financeira.

Trata-se de um investimento voltado para empresas de diferentes segmentos que desejem acessar o mercado de capitais por meio dos recebíveis. Assim, o CR é mais uma alternativa de título de dívida para os investidores.

Como funciona esse novo certificado?

Além de compreender o que é o CR, é essencial saber como funciona esse novo título de renda fixa. A princípio, ele guarda diversas semelhanças com outras aplicações. A rentabilidade, por exemplo, pode ser prefixada, pós-fixada ou híbrida.

Além disso, o investidor se torna o credor da empresa emissora do CR. Desse modo, ele tem direito a receber o montante corrigido pela rentabilidade acordada, ao final do prazo do investimento.

Por ser uma alternativa do crédito privado, o CR não tem a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Logo, não há garantias ou ressarcimento caso o emissor não consiga realizar o pagamento do valor acordado.

Ademais, para as empresas que desejam captar recursos, ele funciona com base na securitização de recebíveis. O processo começa com a antecipação dos valores a receber por parte de uma companhia, chamada de cedente.

A securitizadora antecipa esses valores com a cobrança de um deságio e passa a deter os direitos creditórios. Logo, a securitizadora receberá os valores pagos pelos clientes futuramente.

Nesse momento, há a securitização dos recebíveis, que são transformados em um título negociável no mercado — o CR. Assim, o investidor disponibiliza os recursos para a securitizadora e, no prazo acordado, pode resgatar o título para receber o retorno.

Qual a diferença do CR para outros títulos?

Ao entender o que é e como funciona o CR, podem surgir dúvidas sobre como ele se compara aos outros investimentos de renda fixa.

Existem três pontos principais que diferenciam o CR de investimentos como o certificado de recebíveis imobiliários (CRI), do agronegócio (CRA) ou o fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC).

O primeiro ponto é que o CR não se limita a operações de crédito relacionadas a empresas do mercado imobiliário ou do setor agro. Logo, ele pode ser emitido por negócios de diferentes segmentos da economia, o que o torna mais acessível às companhias.

Por outro lado, o CR não oferece isenção de Imposto de Renda (IR) sobre o rendimento para pessoa física, ao contrário do CRI e do CRA. Em vez disso, o certificado de recebíveis prevê a cobrança de IR pela tabela regressiva, que varia de 22,5% a 15% do retorno.

Ainda, o CR se diferencia do FIDC pela estrutura necessária. Para as empresas que desejam captar recursos pelo FIDC, é preciso contratar uma gestora e administradora. Com o CR, por outro lado, basta buscar a securitizadora — o que pode diminuir os custos gerais.

Quais são as vantagens do certificado de recebíveis?

Até aqui, você entendeu quais são as características principais do CR e como ele funciona. Assim, fica mais fácil compreender quais podem ser os benefícios desse tipo de investimento de renda fixa.

Para quem investe, ele pode oferecer ganhos maiores que outras alternativas de renda fixa. Isso acontece porque ele tem um risco de crédito maior. Então você tem a chance de obter ganhos maiores sem precisar sair dessa classe de investimentos.

Dependendo da sua estratégia, o CR pode ajudá-lo a diversificar parte da carteira. Desse modo, você diminui o risco geral do portfólio e também pode aumentar o potencial de retorno.

As empresas também têm vantagens com o CR. O certificado permite acesso ao mercado de capitais por negócios de diferentes setores, facilitando a captação de recursos. Além disso, é possível obter os valores a um custo menor do que aconteceria com empréstimos e financiamentos, por exemplo.

Por fim, todo o mercado pode se beneficiar da criação desse título, já que ele serve como mais uma alternativa para investidores e empresas. Como consequência, o CR pode ajudar a desenvolver o mercado de capitais e a atrair mais participantes para as operações de crédito.

Vale a pena investir nesse tipo de certificado?

Depois de conhecer os pontos gerais do CR, é importante entender se vale a pena fazer esse tipo de investimento. Para tomar a decisão, você deve considerar pontos relevantes sobre as suas características e sobre o título.

O primeiro passo é identificar seu perfil de investidor — que pode ser conservador, moderado ou arrojado. Dependendo da classificação, sua tolerância ao risco será maior ou menor, o que influencia a escolha do CR. Afinal, apesar de ser de renda fixa, ele tem mais riscos.

Além disso, é preciso pensar em seus objetivos financeiros. Conforme as condições de prazo e liquidez, o investimento em CR pode ser mais adequado para o médio e longo prazo, por exemplo.

Ainda, é importante avaliar as condições do título, como a securitizadora emissora, o retorno oferecido e demais características. Assim, você saberá se a aplicação é oportuna para a sua estratégia.

Nesse processo, é essencial escolher títulos que estejam em uma central depositária adequada, como a Laqus. Dessa maneira, você terá a segurança operacional de investir na aplicação.

Empresas que desejam usar o CR como fonte de captação de recursos também podem contar com a Laqus nesse processo.

Como você acompanhou, o CR é um investimento de renda fixa que passou a estar disponível no mercado financeiro em 2022. Com a alternativa relativamente nova, você pode aproveitar as vantagens de compor sua carteira com uma opção de crédito privado — ou buscar recursos para o seu negócio com muito mais facilidade.

Gostou de conhecer essa aplicação financeira? Para saber mais sobre investimentos e soluções disponíveis, entre em contato conosco da Laqus!